III

Hoje eu queria estar só

Como no útero de minha mãe

Um nada

Abraçado pela película da vida


Desde que nasci

Desconheço a solidão

Mas me abraça o medo


Se eu chorar

Quem há de oferecer-me o peito?

Quem há de nutrir-me a ilusão

De não estar só?


Hoje eu queria não estar só

Como a minha mãe

E o seu útero

Pleno de mim.

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s